Acessifest 2012 – Festa da acessibilidade

14/05/2012

No dia 05 de maio a turma do BRINCAR participou das comemorações da 4ª edição da ACESSIFEST, no Parque Municipal. Em 2012, o evento comemorou uma das mais importantes vitórias para as pessoas com deficiência: a partir de uma decisão judicial, foi suspensa a Portaria da BHTrans que restringia a concessão do passe livre para pessoas com alguma necessidade especial. Hoje, basta uma pessoa ter uma deficiência para usufruir o direito à gratuidade do transporte público em BH.

Muitas atividades culturais animaram a festa: shows, oficinas de lazer e atividades artísticas. Alunos, equipe e familiares aproveitaram bastante a  festa. Confira as fotos do evento aqui.

Anúncios

Brincar no Tempo

12/04/2012

Pessoal! Vejam que bacana o artigo assinado pela professora e terapeuta ocupacional Cíntia Laredo no jornal O Tempo!!! Tá famosa demais!

Quem quiser ter seu artigo publicado, envie um texto de 1.500 caracteres para o e-mail brincarnamidia@gmail.com

Artigo_Acessibilidade que leva à inclusão social


Acessibilidade e seus desafios

28/09/2011

*Texto escrito pela estagiárias de Terapia Ocupacional Talita Rodrigues Oliveira e Vanessa de Leles Pinto, orientadas por Cíntia Laredo

Os alunos do Centro de Convivência estão aproveitando bem as tardes ensolaradas desta Primavera que acaba de começar. Passeios pelo bairro Floresta têm sido rotineiros. No último deles, os alunos visitaram a Praça Zimmermann. A atividade foi bastante agradável. No entanto, o acesso dos alunos cadeirantes às ruas do bairro, a locomoção e a travessia são fatores que dificultaram e dificultam os passeios.

Por isto, o objetivo da nossa turma é chamar atenção para problemas externos que afetam a acessibilidade. Infelizmente, a maioria dos motoristas não têm consciência de que a faixa de pedestre está ali para ser respeitada. Normalmente esperamos bastante tempo para conseguirmos atravessar. E isto deveria ser uma situação de exceção.

As ruas e calçadas são terríveis, com inúmeras irregularidades, rachaduras e buracos, o que dificulta a locomoção, pois as rodas das cadeiras costumam se agarrar nestes empecilhos. A sociedade se diz inclusiva – é verdade que muitas pessoas cooperam – porém, a maioria nem nota os problemas que estão na sua frente. Ou melhor, debaixo de seus pés.

Os alunos Ana Carolina, Roberto e Pedro, em visita pelo bairro Floresta, ao lado de Vanessa e Cíntia